PM começa processo de expulsão de aquartelados

A Polícia Militar do Espírito Santo informou no Diário Oficial desta terça (14) a instauração dos primeiros inquéritos policiais militares (IPMs) e de procedimentos demissionários dos envolvidos no aquartelamento dos agentes. A paralisação dos policiais começou há dez dias.

Estão publicados os IPMs de dois tenentes-coronéis, um major, e um capitão da reserva remunerada. Essas publicações são os primeiros inquéritos instaurados de 703 policiais investigados.

Na sexta-feira (10), a Polícia Militar anunciou o indiciamento de 703 agentes pelo crime de revolta. Se condenados, a pena é de 8 a 20 anos de detenção em presídio militar e a expulsão da corporação. O secretário de Segurança Pública, André Garcia, informou que eles foram indiciados pelo crime militar de revolta por estarem armados e aquartelados nos batalhões.lista-pm-gvnews

A primeira lista está dividida em três grupos. Os policiais com menos de 10 anos de trabalho vão sofrer o chamado Procedimento Administrativo Disciplinar Rito Ordinário (PAD RO). Já os que estão na corporação há mais de uma década vão ser submetido ao Conselho de Disciplina.

Além disso, serão submetidos a Inquérito Policial Militar os tenentes-coronéis Alexandre Quintino Moreira e Carlos Alberto Foresti, além do major Fabrício Dutra Correa e o capitão da reserva Lucinio Castelo de Assumção, mais conhecido como “Capitão Assumção”, que é ex-deputado federal e foi candidato a vereador de Vitória, na eleição de 2016, mas perdeu o pleito. Veja aqui a lista completa.

Os procedimentos têm prazo inicial de 30 dias para serem concluídos. Período em que vão ser avaliadas as provas apresentadas pela corporação. Ao final desse prazo, alguns militares podem perder a farda.

Todos são investigados por envolvimento no aquartelamento que teve início no último dia 3, quando as famílias começaram a ocupar os acessos aos batalhões e unidades da PM, impedindo a saída das viaturas. Com isso, a violência tomou conta das ruas das cidades capixabas, o que resultou em 145 homicídios até a tarde desta segunda (13).

Com informações da Agência Brasil