Exposição “Dionísio Del Santo – Sombra Projetada” em cartaz no Sesc Glória até setembro

Cores, movimento e a vontade de experimentar o novo são alguns dos elementos que traduzem as obras do artista plástico Dionísio Del Santo (1925-1999). O artista utilizou linhas geométricas e sombras que resultaram em um trabalho único e intenso. E o público capixaba terá a oportunidade de conhecer essas pinturas e serigrafias – muitas delas inéditas – na exposição “Dionísio Del Santo I Sombra Projetada”, que está em cartaz no Centro Cultural Sesc Glória, no Centro de Vitória. A mostra é uma parceria entre a Secretaria de Estado da Cultura (Secult) e o Serviço Social do Comércio (Sesc). Entrada franca. A exposição individual reúne 24 obras do acervo, que pertence ao Museu de Arte do Espírito Santo (MAES). A exposição tem curadoria conjunta de Renan Andrade, diretor do MAES, e de Júlio Martins (BH/MG) com amplo conhecimento sobre a obra de Dionísio Del Santo.

“Sombra Projetada” possui um enfoque incomum e significativo sobre a produção do artista. As obras selecionadas pela curadoria, muitas delas ainda inéditas para o público, denotam um diferencial: apesar de estarem no campo da abstração, flertam com a figuração, mas não chegam plenamente ao figurativo. A ideia de “sombra projetada”, que dá título à exposição, vem daí também: forma que, ao ser transposta, perde o seu rigor e ganha outros contornos. A produção plástica de Dionísio Del Santo destaca-se pela utilização do vocabulário geométrico, contudo sem o rigor da grade modernista e dos concretos. Obras selecionadas para a exposição são de matriz em que se vale de fragmentos e distorções.

O projeto da exposição inclui uma publicação bilíngue que compilará as obras expostas e uma série de entrevistas com artistas que dialogam com a produção de Dionísio Del Santo. Como desdobramento, estão previstas atividades pertinentes ao Programa Educativo: Formação de Mediadores, Capacitação para Professores, Lançamento do Catálogo e Palestra com os curadores Júlio Martins e Renan Andrade.

Dionísio Del Santo

Dionísio (1925-1999) foi pintor, desenhista, gravador e serígrafo. Dedicou-se à arte abstrata desde a metade dos anos 1960, realizando, sobretudo,  obras em serigrafia, que compreendem o recorte predominante desta exposição.O percurso da produção artístico do capixaba Dionísio Del Santo foi determinado desde seus primeiros contatos com o desenho, especialmente o desenho em quadrículas, técnica que tem como determinação à redução da figura a um esquema múltiplo de pequenos quadrados na definição da figura a ser representada. Este contato inicial desenvolve no artista uma maneira especial de ver o mundo ao redor através de pequenas peças de um quebra cabeça quase mosaico. Autodidata, experimenta não só a técnica do desenho, talvez um início com facilidades em um universo de cidade do interior, sem grandes recursos em relação ao aprendizado das Artes. Com a mudança para o Rio de Janeiro, se inicia na gravura – xilogravura – e descobre a serigrafia, que viria a ser sua maior especialidade.

Na xilogravura tem contato com a reprodutividade da obra propiciada pela gravura e transfere esta experiência para a serigrafia, o que provoca uma reavaliação no mercado de arte de obras em série. Experimenta na técnica o processo de permutações que o consagra. A pintura e o objeto seguem o mesmo trajeto nesta fase inicial do artista até final dos anos 50.

A partir destes antecedentes Dionísio Del Santo direciona sua obra ao poderíamos chamar de uma trajetória para a abstração. Com um início de xilogravuras de características expressionistas, temática de memória rural, as figuras se transformam em signos geométricos, sintéticos, para depois dar lugar a uma abstração mais rica em linhas e cores que dialogam. Por fim a figura e a geometria se transformam em fragmentos livres.

 

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*