Boeing prevê necessidade de 2 milhões de pilotos e técnicos de voos em 20 anos

A fabricante de aviões Boeing prevê a necessidade de mais de 2 milhões de novos pilotos, técnicos e auxiliares de voo até 2036, de acordo com o relatório Previsão de Pilotos e Técnicos apresentado nesta sexta (25) pela empresa numa convenção técnica realizada nos Estados Unidos. O documento indica que a região da Ásia-Pacífico terá a maior demanda de pessoas para trabalhar na tripulação de aviões, superando as necessidades da Europa e da América do Norte.

Essa é a oitava edição do estudo anual de necessidades trabalhistas do setor feitas pela Boeing. O estudo considera as perspectivas de crescimentos das frotas de aviões comerciais no mundo todo para os próximos 20 anos.

Segundo a previsão, entre 2017 e 2036 serão necessários 637 mil novos pilotos para companhias aéreas comerciais, 648 mil técnicos de manutenção e 839 mil auxiliares de voo. Desse total, a região Ásia-Pacífico terá uma demanda de 253 mil novos pilotos, seguida da América do Norte, com 117 mil, da Europa, com 106 mil, e da América Latina, com 52 mil.

Esses dados são 3,2% superiores aos do relatório do ano passado quanto as necessidades de pilotos, mas 4,6% menor em relação aos técnicos de manutenção nas companhias aéreas. A queda ocorreu principalmente pela redução das horas de manutenção dos novos modelos de aeronaves.

Fonte: Agência Brasil